Cristiano Ronaldo nega ter agredido menor.


Ronaldo lamenta "o gesto" que teve, em defesa da mãe, que ficou em "tal estado de perturbação e aflição" com a perseguição perpetrada por um fotógrafo freelancer e uma acompanhante, de 17 anos, que disse querer apenas um autógrafo do futebolista.

Em declarações publicadas no sítio da Gestifute na Internet, com a data de 29 de Junho, Cristiano Ronaldo diz que foi vítima de perseguição e armadilha. Actos atribuídos a um indivíduo "já bem conhecido de diversas figuras públicas portuguesas, por não escolher meios para atingir os seus objectivos, ou seja, o escândalo, e já foi por isso objecto de condenação judicial", pode ler-se no documento publicado pela empresa que gere a imagem do futebolista do Real Madrid.

“O incidente envolveu um indivíduo que infelizmente não olha a meios para atingir fins e que eu já conhecia de o ter visto dias a fio à porta de minha casa", escreve Cristiano Ronaldo no sítio da Gestifut. "Perseguiu-me de automóvel desde o Hotel Ritz até à zona da Expo, onde tenho o meu apartamento, estando eu acompanhado da minha mãe e ele de uma jovem que durante todo o percurso filmou ostensiva e provocatóriamente todos os nossos gestos", realça o jogador do Real Madrid.

"Esta perseguição causou um tal estado de perturbação e de aflição na minha mãe que me vi forçado a parar o meu carro para tentar convence-los a deixarem-nos em paz”, conta Cristiano Ronaldo à Gestifute Media. “Quando estou sozinho, tudo bem, engulo em seco e tento ficar indiferente. Mas quando é a minha mãe que está em causa, aí, peço desculpa, mas não admito que ninguém, repito, ninguém, a moleste", argumentou o jogador.

Sem referir, fica subentendido que Ronaldo assume os actos que lhe são imputados pela jovem que apresentou queixa na polícia. A adolescente, de 17 anos, terá sido assistida no Hospital de S. José, onde deu entrada cerca das 22 horas de domingo.

"Lamento o gesto que tive, se bem que também não possa jurar que, se as circunstâncias se repetirem, eu não reaja de forma idêntica, pois quando a minha mãe é envolvida é-me extremamente difícil manter a presença de espírito", assegurou o futebolista.

Tentativa de extorsão

Segundo a Gestifut, "a falta de escrúpulos do indivíduo em questão" não se ficou pela perseguição e captação de imagens. “Ele tentou de imediato vender a gravação do vídeo à empresa que me representa, mas eu jamais – insisto, jamais – poderia aceitar uma proposta que só tem um nome: extorsão”, revelou Cristiano Ronaldo.

“Aquando da tentativa de negociar a venda do vídeo, a acompanhante, embora não apresentasse, como era bom de ver, qualquer ferimento visível, até compareceu envergando uma bata do hospital, o que leva a crer que eles planeiam acrescentar vários pontos ao pequeno conto que realmente ocorreu", escreve, ainda, Cristiano Ronaldo.

Infelizmente, sei que mais dia menos dia tudo o que eles gravaram vai estar aí disponível num jornal qualquer e se dará crédito ao que eles falsamente queiram acrescentar, porque infelizmente há sempre compradores, há gente que não tem escrúpulos e que continua a premiar esta mesquinhez de tentar tudo a todo o custo para benefício pessoal", diz o futebolista do Real Madrid. "Eu não sou assim. Porque se fosse teria comprado a cassete e o assunto jamais seria tornado público. Mas sei que vai ser tornado público. Porque eu assim quis, porque eu só assim sei estar na vida”, conclui.

Segundo a Gestifute, Cristiano Ronaldo tem já o caso confiado aos seus advogados.

0 comentários