"Ronaldo treina como se fosse um jogo oficial"

Publicada por Webmaster | 3:28 da manhã | 0 comentários »

Gabriel Heinze. O defesa argentino, que já jogou no Sporting e hoje está no Real Madrid, cruzou-se com Ronaldo no Manchester United. Aí, nasceu uma forte amizade e uma imagem forte do português

Segunda-feira, dia 12, a FIFA atribui o prémio para melhor jogador de 2008. Cristiano Ronaldo é mesmo o principal favorito?

Claro que sim. É o mais justo vencedor. Esse troféu premeia a temporada de um determinado jogador. E não há ninguém que tenha feito, sequer, algo parecido com o que o Cristiano fez na época passada. Conquistou títulos pelo Manchester United, títulos individuais. Por tudo isto é claro que vai vencer.

E Cristiano Ronaldo é mesmo o melhor do mundo?

É um dos melhores do mundo. Para mim, muito sinceramente, é muito difícil escolher um só jogador como o melhor. Há Messi, há o Cristiano, há o Torres, há o Ibrahimovic, há tantos outros, todos eles excelentes e algo diferentes. Hoje em dia fala-se particularmente do Messi e do Cristiano e entre os dois é bastante difícil escolher. Um tem umas qualidades, outro tem outras, eu queria os dois.

Alex Ferguson já falou bastantes vezes sobre a paixão do Cristiano Ronaldo pelo futebol e pela forma como se prepara nos treinos e no ginásio. Acompanhou de perto isto. É mesmo assim?

Ele vive para o futebol, não há dúvidas. O futebol para ele é um dos seus grandes amores. O Cristiano traçou um objectivo, queria ser visto como um dos melhores de sempre e está a fazer um trabalho nesse sentido. Ele treina como se fosse um jogo oficial. Faz ginásio para melhorar os índices musculares, tudo para que consiga os seus objectivos. Por vezes perguntávamo-nos o porquê de tanto trabalho, mas lá no fundo todos acabámos por perceber que a paixão que tem pelo futebol leva-o a fazer isto.

Jogou com o Cristiano no Manchester United. É verdade que ficaram bastante próximos?

Sim, ficámos amigos. Quando eu cheguei a Manchester, tanto eu como o Cristiano tínhamos algumas limitações com o inglês, era mais fácil comunicar com ele do que com os outros colegas. Começámos então a cultivar uma amizade que ainda se mantém.

E consegue descrever Ronaldo como amigo?

É uma excelente pessoa e um amigo extraordinário. Contou-me muitas histórias da sua infância e dos tempos complicados que passou. Hoje pretende dar uma outra vida à família e ajuda também os amigos. É um amigo carinhoso e sem grandes defeitos.

Mas tem alguns defeitos?

Sim, a vaidade. Qualquer dia o cabelo cai-lhe com tanto gel que coloca.

Também teve a oportunidade de trabalhar com Carlos Queiroz. Como o define?

Um estudioso e metódico. Ele analisa tudo e mais alguma coisa. Era o aliado perfeito de Ferguson, tudo o que o Manchester ganhou também se ficou a dever ao seu trabalho.

Mas com Portugal nem tudo está a correr bem...

Não acompanhei os jogos, soube pelas notícias. Ele chegou há pouco tempo, é natural que nem tudo esteja a correr bem. Mas pela qualidade dele, e dos jogadores de Portugal, de certeza que vão chegar ao Mundial.

E se lá chegarem podem ser considerados como favoritos?

Há sempre equipas com mais história, que são sempre os chamados favoritos. Portugal tem uma selecção recheada de jogadores fantásticos, não vejo por que não possa vencer o Mundial. Ainda assim espero que, no máximo, fiquem em segundo lugar, atrás da Argentina.

Curiosamente, por outro clube por onde passou, o Paris SG, voltou a jogar com outros portugueses, nomeadamente Pauleta, Hugo Leal, Filipe Teixeira e Agostinho. Ainda se recorda de todos?

É complicado lembrar-me de todos os jogadores com quem já joguei. Mas lembro-me melhor do Pauleta, um avançado fantástico, um ídolo quando estava em França, e do Hugo Leal, que acompanhava também a sua carreira quando estava em Espanha. Um médio com uma grande visão de jogo.

Agora está no Real Madrid e mais uma vez a jogar com um português, Pepe...

Pepe é um bom amigo também. É muito divertido, faz do balneário uma festa.

E como jogador?

Basta dizer que está no Real Madrid e joga quase todos os jogos. Só isso define as suas enormes qualidades. É, sem dúvida nenhuma, um dos melhores centrais do mundo.

Na temporada passada teve também como companheiro Balboa, que agora está no Benfica. Como o descreve?

Muito difícil de marcar, quando eu jogava na ala. É muito rápido e faz cruzamentos quase de todos os lados.

Mas não joga no Benfica...

Não? Provavelmente ainda não está adaptado. Ele tinha lugar no Real Madrid, só saiu porque não jogava assiduamente, mas é jovem e vai dar muito que falar, não tenho dúvidas.

0 comentários