Cristiano Ronaldo foi expulso na vitória hoje do United no derby de Manchester (1-0, com um golo de Rooney), depois de ter visto o segundo amarelo num lance em que tocou a bola com mão, quando pensava que o árbitro tinha interrompido o jogo. O português fez declarações ao site da Gestifute, do seu empresário Jorge Mendes, a justificar esse lance, mas acabou também por fazer vários desabafos.

Consciente de que a sua imagem se deteriorou, com recentes declarações e gestos, Cristiano Ronaldo lamentou que cada gesto que faz seja “analisado à lupa”: “Se não comemoro golos é porque ando triste, se falo com o público é porque perdi a humildade, ou seja, o meu menor gesto merece sempre todo o tipo de críticas.” Ronaldo diz ser o mesmo de sempre, “humilde, respeitador, trabalhador, ambicioso e perfeccionista”.

"O Cristiano Ronaldo continua exactamente igual ao que sempre foi, independentemente do que se passa dentro e fora dos relvados. Mas como dizem os meus amigos, como dizem as pessoas que me conhecem bem, só criticam os bons, por isso o que posso dizer mais? Apenas que sou preso por ter cão e preso por não ter", desabafou o número sete do United e da selecção nacional.

O extremo português negou ainda alguma vez ter dito que era o primeiro, segundo e terceiro melhor do mundo. “Quem priva comigo sabe que os troféus colectivos são bem mais importantes do que os prémios individuais. Claro que não sou falso e tenho de admitir que os títulos individuais me enchem de orgulho”, explicou Ronaldo, considerando que é o favorito a ganhar o prémio de melhor do mundo, por tudo o que fez na época passada. “Mas jamais diria que sou o primeiro, segundo e terceiro melhor do mundo por respeito para com os restantes candidatos e porque considero que têm todos potencial para poderem ganhar”, disse, a dois dias da atribuição da Bola de Ouro.
Fonte: Publico

0 comentários