Ronaldo de ouro

Publicada por Webmaster | 11:12 da manhã | 0 comentários »

Cristiano Ronaldo teve, este sábado, no Funchal, mais um momento de glória ao receber a "Bota de Ouro" um troféu que distingue o "goleador dos goleadores" do futebol europeu. Foi a primeira das coroas. Resta, agora, a da FIFA.,

Ser, portanto, a seguir, o melhor jogador do Mundo, sucedendo ao brasileiro Kaká, é uma ambição legítima do prodígio português

O próprio, sem falsas modéstias, mas com a consciência de que, na época que findou, foi o jogador mais valioso, confessou sem meias palavras: "Acho que pelo fiz, pela regularidade, pelos golos que marquei na Liga Inglesa e na Liga dos Campeões e pelos títulos que obtive, que mereço esse troféu."

Se contra factos não há argumentos - e nunca deve haver -, Ronaldo deverá ser eleito, em Dezembro, o melhor jogador do Mundo. Foi rei num país de monarcas, onde o futebol é muito exigente, consagrado por colegas, adversários e jornalistas. É evidente que, nestas coisas, não há unanimidade, como o ilustra a opinião do inefável Platini, novo chefão da UEFA, que disse aguardar pelo "Europeu" de Ronaldo para consolidar o seu parecer.

Talvez por isso, na cerimónia de entronização, no Funchal, o novo "king" desabafou: "Sei que tudo depende, agora, dos treinadores de todo o Mundo. Eles é que vão decidir."

Mas também há personalidades, como Zinedine Zidane, um ex- melhor do Mundo, que se manifestaram a favor do fenómeno lusitano. Ronaldo lembrou isso: "Esse elogio, vindo de Zinedine, é sempre motivo de orgulho". Por isso afirmou sem reservas. "Estou confiante."

Quem torce, também, pela estrela do United é o presidente da Federação Portuguesa de Futebol, Gilberto Madail, referindo, mesmo, que o troféu "Golden Boot"é "mais um passo na sua coroação como melhor jogador do Mundo".

Madail desvalorizou a pressão espanhola para que o guardião Casillas seja o eleito : "Ele não precisa de petições e quanto a Casillas, que é um excelente guarda-redes, não teve a regularidade de Cristiano Ronaldo".

O jogador, na cerimónia organizada pela European Sport Magazine (que atribui o troféu), não deixou de responder às questões mais difíceis, como a do seu futuro: "Não sei se é a última época em Inglaterra. Estou contente onde estou mas o futuro a Deus pertence e só posso prometer que vou dar sempre o meu melhor, independentemente da camisola que vestir".

Ronaldo também comentou o desejo de Alex Ferguson de o convocar para o jogo de quarta-feira, para a Liga dos Campeões: "Vamos ver, espero que sim".

Desvalorizou, ainda, a derrota do seu clube, ontem, frente ao Liverpool, afirmando que "ainda falta muito campeonato".

O facto de Ronaldo ter trocado o glamoroso e luxuoso Mónaco, como é habitual, pela simplicidadade da Madeira, foi justificado com a promessa feita ao pai de receber o troféu na sua terra natal.

"Há lugares muito simpáticos, porém gosto muito da Madeira, pois este é um lugar como os outros, mas onde estão as pessoas de quem gosto. Por outro lado, quis confirmar que, apesar de ganhar aquilo que ganho, não deixei de ser quem era, apesar de sexta-feira ter sido pouco simpático, à chegada, mas foi um percalço", afirmou.

O jogador não deixou de comentar o desaire da selecção de Carlos Queiroz, sublinhando que "ninguém esperava aquela derrota frente à Dinamarca, com dois golos entre os minutos 87 e 90, mas creio que mantemos intactas todas as nossas aspirações de apuramento".

A ausência do presidente do Governo Regional, Alberto João Jardim, também motivou uma reacção, de compreensão, do craque madeirense: "Sei que ele teve compromissos inadiáveis. Apesar de tudo, o que sei é que temos uma excelente relação".
Fonte: JN
Autor: MANUEL LUÍS MENDES

0 comentários